quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Horta no apartamento

O que é uma cozinha honesta sem ervas fresquinhas e orgânicas, não é mesmo?

De uns tempos pra cá eu me animei novamente com a hortinha.

Mas havia duas questões: a primeira é que manter os vasos na janela da lavanderia era um problema porque, quando chovia, a terra espirrava no parapeito e no vidro, fazendo muita sujeira. Além disso, ali bate bastante vento e alguns vasos se ressentiam bastante.

Vasos de ervas na janela da lavanderia em 2011
Resolvi esse problema pendurando 3 vasos um embaixo do outro, enganchando as correntes, que encurtei um pouco. A ideia foi da Carol Costa, do Minhas Plantas, quando ela esteve aqui. Gostei muito do resultado. Estes 6 vasos estão na porta da cozinha para a lavanderia, bem de frente para a janela. Em breve vou colocar mais 3 vasos ao lado da janela, e tentarei plantar alface. Vamos ver se vai funcionar...

Minha hortinha vertical: tomilho, alecrim, salsa, hortelã e manjericão
A segunda questão é que eu sempre fico cabreira quando compro aqueles vasos de ervas lindões, com folhas enormes. Aquilo não deve ser orgânico, certo? Vai saber o que os caras colocam para as ervas ficarem assim tão vistosas. Tanto é que, por exemplo, com hortelã, depois que eu colho as primeiras folhas, as seguintes nascem muito menores.

Então eu estou fazendo algumas experiências com sementes - algumas obtidas dos próprios produtos e outras de saquinho.

O limão siciliano foi uma grata surpresa e que me animou muito. Recolhi um punhadinho de sementes, lavei e deixei um bocado de tempo secando num potinho. Até mais do que o tempo recomendado em algum site que consultei, que era de 15 dias. Acho que deixei 2 meses. Mesmo assim, joguei num vasinho de terra e muitas mudas brotaram. Distribuí a vários amigos e estou com 3 mudinhas plantadas num vaso definitivo.

Pezinhos de limão siciliano
Com as sementes de saquinho, tentei pimenta dedo-de-moça, cebolinha e tomate cereja. Mas até agora, quase um mês depois, só a pimenta brotou.

Mudinhas de pimenta dedo-de-moça
Em todo caso, a Feira de Plantas do Ceagesp costuma ser a minha fonte principal de vasos de ervas e acessórios (terra, ferramentas, adubos, etc.). Funciona às terças e sextas, da madrugada até às 10h00. Algumas pessoas costumam comprar na noite anterior, quando os caminhões começam a chegar ao Ceagesp e estacionam nos arredores, mas pra mim a feira cedinho está de bom tamanho.

Pé de tomate cereja
Na minha última visita à feira, comprei este lindo pé de tomate cereja, além de alguns vasos de erva. Os preços são muito bons: paguei R$10,00 no pé de tomate, R$6,50 no vaso de barro em que plantei o limão siciliano, e R$4,00 cada vasinho de erva.

Ah, e vale pelo passeio! É um astral muito bom passear no meio de tantas plantas lindas!
Feira de Plantas do Ceagesp (foto do Instagram)
Tenho agora uma página no Facebook para trocar ideias e experiências sobre pequenas hortas, chamada Mini-Horta (clique aqui).


domingo, 27 de janeiro de 2013

Pão integral e fermento natural


Fazia bastante tempo que eu não me aventurava a fazer pão caseiro, exceto o pão sem glúten, que é muito fácil de fazer, embora bastante temperamental.

No final de semana passado tentei fazer pão integral e foi um fracasso retumbante. Pior: fiz 2 receitas e acabou sendo um desperdício enorme de farinha. Nem cheguei a assar. Simplesmente não cresceu. Pensei em tudo o que podia dar errado, e o mais provável é que usei água muito quente e matei o fermento.

Mas eu não me rendo facilmente, e no correr da semana pesquisei, conversei, assuntei e resolvi não só insistir no pão, mas ainda retomar uma ideia antiga: produzir um levain, ou seja, um fermento natural. Pão com fermento natural é uma categoria muito superior de pão, do tipo que não pesa no estômago e tem  textura e sabor incríveis!

Eu já tinha tentado criar um levain há uns 2 anos, numa experiência colaborativa comandada pelo Luiz Américo Camargo, blogueiro de gastronomia do Estadão, mas meu levain não vingou e eu desanimei. Agora, lá no grupo do Facebook, o 365 Dias de Comida Honesta, estamos trocando ideias e até abrimos um evento sobre fermento natural.

Então neste final de semana, comecei meu levain, do qual tratarei em outro post, mas como não queria esperar, hoje fiz pão integral com fermento seco mesmo. Esta receita é uma síntese de diferentes receitas e técnicas que já testei e acabei simplificando, sem perder a exatidão.

Para esta receita, usei um pré-fermento que é preparado com pelo menos 12 horas de antecedência. E hoje quem sovou o pão foi o Lucas. Ah, e eu peso os ingredientes. Sei que muita gente faz "no olho" e dá certo, então é questão de cada um encontrar o seu jeito.

Pão integral caseiro

Pré-fermento

Ingredientes:
90 g (3/4 de xícara) de farinha de trigo branca
60 ml de água
1 colher (café) de fermento biológico seco
1/2 colher (café) de sal

Misture os ingredientes secos, faça uma cavidade e vá incorporando a água aos poucos, até formar uma massa homogênea. Coloque em um recipiente untado, cubra com um pano e deixe descansar por uma hora.

Passado esse tempo, tampe o pote e leve à geladeira por 12 a 48 horas. Tire da geladeira uma hora antes de começar a preparar o pão.

Pré-fermento com cerca de 18 horas de vida

Pão integral caseiro

Ingredientes:
250 g de farinha de trigo branca
250 g de farinha de trigo integral
15 g de açúcar mascavo
5 g de fermento seco
9 g de sal
330 ml de água
Pré-fermento preparado conforme acima

Numa tigela, coloque a farinha de trigo branca, faça uma cavidade no centro e comece a misturar metade da água com a farinha de trigo branca.

Em seguida adicione e incorpore o pré-fermento, o açúcar mascavo, a farinha integral e o restante da água. Por fim, acrescente o fermento seco e por último o sal.

Depois de tudo bem misturado, sove a massa por cerca de 10 minutos. Se precisar, polvilhe mais farinha nas mãos. Em pouco tempo a massa deixa de grudar.

Faça uma bola com a massa e coloque-a numa tigela, cubra com um pano e deixe crescer por uma hora e meia a duas horas.

Passado esse tempo, divida a massa em 2 partes e modele os pães. Você pode usar uma forma de bolo inglês ou simplesmente modelar uma bola ou um cilindro de cerca de 20 cm e colocar em um tabuleiro levemente enfarinhado.

Deixe a massa crescer por mais 30 a 40 minutos. Na metade desse tempo, aqueça o forno.

Leve a massa para assar da seguinte maneira:
- primeiros 15 minutos em forno alto;
- depois reduza para forno médio e mantenha assim por 15 minutos;
- finalmente, aumente novamente para forno alto por 10 minutos, para dourar.

Retire do forno e deixe esfriar, de preferência sobre uma grade.


* * * * * *


Esta é uma receita básica que comporta inúmeras modificações de forma, recheios, etc. Você pode acrescentar frutas secas, sementes de linhaça e o que mais a sua imaginação sugerir. Também é possível usar partes iguais de farinhas integrais de arroz, centeio, aveia e soja no lugar da farinha de trigo integral.

Para aplicar uma cobertura de aveia ou gergelim aos pães, faça o seguinte: depois de modelá-los, borrife com um pouco de água e role os pães sobre aveia ou gergelim dispostos em uma travessa.

Nas próximas semanas vou tentar outras variações e virei contar aqui.

* * * * * *

Vale a pena tentar o pão sem glúten, cuja receita está aqui.
Eu faço toda semana e a partir do segundo dia, mantenho na geladeira (porque ele é mais perecível). Daí passo duas fatias na frigideira com um tico de manteiga, cubro com queijo cottage e moo um tico de pimenta por cima. Fica muito bom!

Outro pão que gosto muito é a piadina, que é um pão fininho que fica ótimo com vários tipos de recheio. Receita aqui.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Frango agridoce com tamarindo e mel


Não é uma delícia quando a gente consegue fazer um prato rapidinho, sem complicações, e fica uma delícia? E quando leva um ingrediente novo?

Eu tinha uns tamarindos que a minha amiga Ana Rüsche me mandou. Nunca tinha usado essa fruta, e só me lembro de ter consumido tamarindo em suco, quando era criança.

Dei uma olhada em alguns livros de receita e pela internet, e embora a maioria das receitas leve pasta de tamarindo, resolvi arriscar com a fruta e deu certo. Engraçado é que o Lucas experimentou e achou uma delícia. Eu, claro, só contei que tinha tamarindo depois de confirmar que ele tinha gostado mesmo. Mas bastou contar pra ele fazer uma cara do tipo "pensando bem, não é tão bom assim". Filho enjoado é o que há, né?

Frango agridoce com tamarindo e mel

4 filés de frango cortados em tiras
1 cebola cortada em pétalas
1/2 pimentão vermelho fatiado
Óleo, sal e pimenta
1 colher (sopa) de pasta de tamarindo ou 4 unidades de tamarindo
1 colher (sopa) de mel
Xerém de castanha de caju (opcional)

Se você for usar a fruta, descasque-as e leve a polpa ao fogo com um pouco de água até a fruta amolecer e ficar com a consistência de pasta. Retire os caroços e reserve.

Tempere as tiras de frango com sal e pimenta. Sele-as numa frigideira de bordas altas ou panela com pouco óleo, até estarem bem douradas. Reserve.

Na mesma panela, adicione uma colher (sopa) de óleo e refogue a cebola e o pimentão. Coloque a pasta de tamarindo, o mel e cerca de 50 ml de água. Assim que o molho estiver um pouco mais encorpado, volte as tiras de frango para a panela e mantenha no fogo mais um minutinho.

Se desejar, espalhe xerém de castanha de caju sobre o frango na hora de servir.

Rende 2 porções

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Retrospectiva 2012 e as sementes para 2013

Brotos e sementes para um ano novo saudável, farto e generoso. Hoje plantei sementinhas de pimenta dedo-de-moça e tomate cereja (atrás). Na frente, mudinhas de limão siciliano e de bromélia. 

Feliz 2013 pra todo mundo!

O blog ficou parado desde a primeira quinzena de novembro, porque a correria foi grande e a cozinha quase não funcionou. Não cheguei a apelar pra macarrão instantâneo, mas comemos muito sanduíche e panetone por aqui. Também salvou um bom estoque de pratos prontos e ingredientes congelados que eu tinha no freezer!

E eu desisti de lutar contra o fato de que no final do ano minha vida vira um caos, que não dá pra comprar os presentes com antecedência nem chegar às festas fresca e glamourosa. Acho que a gente vai aprendendo que a melhor a receita é deixar a vida te levar.

Pelo terceiro ano seguido, saí para comprar os últimos presentes da família no dia 24. E quer saber? Encontrei pouco movimento nas lojas, e o mais importante é que eu já tinha me liberado do trabalho e não tinha mais nada em que pensar. Não é questão de deixar para a última hora, mas de deixar para a hora possível. Taí algo pra levar pra vida, porque a gente se cobra demais, não é mesmo?

Mas 2012 foi um ano muito bom! Minha vida virtual foi bem rica e me trouxe muita gente bacana para a vida real. Muitos dos encontros envolveram comida, alguns aqui em casa, outros na Cozinha da Matilde, onde também fiz algumas aulas bem legais. Eis alguns eventos:

Em janeiro reuni amigos aqui um almoço que teve dahl de lentilha (receita aqui), kafta, medalhões de ricota (para os vegetarianos, receitinha em breve), arroz com açafrão e saladinha de pepino e tomate.


Em fevereiro teve lombo, legumes grelhados (da Cozinha da Matilde, receita aqui), arroz integral com brócolis ou com amêndoas, chutney de manga e salada de folhas com manga.


Em agosto, um desafio: comemorar o aniversário de duas amigas, Ana Rüsche e Francine, com um grupo de pessoas que incluía vegetarianas, uma amiga com intolerância a trigo e outra com intolerância a leite. Preparei várias combinações de lasanhas: com molho à bolonhesa, de espinafre, e lasanha de berinjela, com ou sem queijo e/ou carne.

Esse almoço terminou com um bolo especial, pensado para contemplar todas as restrições alimentares do grupo: bolo de chocolate sem glúten e sem lactose, recheado e coberto com marshmallow e cerejas. Foi bem feliz, e teve até velinha glamour da Betty Boop! A receita do bolo de chocolate sem glúten está aqui.


Em setembro fiz este bolo de Kit Kat para o aniversário da Clarice, filha de amigos queridos! A criançada ficou encantada, e depois fiz outro desse para o Lucas levar na festa de despedida da escola.


Em 2012 também comecei a colaborar com o Minhas Plantas, um site bem legal e completo sobre jardinagem, com seções variadas, inclusive a de comidinhas, chamada Colher, Comer. A pessoa à frente do site é a jornalista Carol Costa e a história de como a gente se conheceu é bem engraçadinha.

Jardim vertical e a rede na varanda - espaço favorito.
Descobri a Carol há um tempão num blog de decoração, num vídeo dela sobre orquídeas. Eu tinha um certo trauma de orquídeas, e nunca soube cuidar direito dos vasos que às vezes ganhava. Mas o vídeo desmistificava o cultivo, fazia tudo ser incrivelmente simples. Vi todos os vídeos e passei a acompanhar o blog da Carol, na época o Guindaste.

Um dia vi no Facebook a foto de uma amiga, a Lucia Freitas, do LuluzinhaCamp, ao lado de uma mulher que eu sabia que conhecia, mas de onde? Depois de pensar um minutinho, lembrei que era a Carol. E não é que elas se conheciam? Vejam se o mundo virtual não é mesmo do tamanho de uma alcaparra?

Postei um comentário bem de tiete, começamos a conversar, e um belo dia a Carol veio tomar café da manhã aqui em casa. Divertida e simpática, me presenteou com uma orquídea, fertilizante e muitas dicas. Nessa altura do campeonato eu já tinha colocado em prática o que havia aprendido nos vídeos e até resgatei uma orquídea que estava abandonada no jardim. Agora tenho um jardim vertical na varanda que está cada dia mais lindo!

Daí veio o convite para eu colaborar com receitinhas, o que também me serviu de estímulo para aprender mais sobre o cultivo de hortas caseiras. E eis que meu primeiro post, um pesto de manjericão, saiu em dezembro e você pode conferir aqui.

Carol Costa (Foto: Minhas Plantas. Todos os direitos reservados.)






















E isso me leva de volta à foto lá do início. Espero que as sementinhas plantadas hoje virem lindos vasinhos de ervas para presentear os amigos e dar um sabor especial às muitas refeições que eu espero preparar em 2013. Que o ano seja de muita fatura, comida honesta, partilha de conhecimentos e amigos ao redor da mesa!


*****

A propósito, nosso grupo no Facebook, o 365 Dias de Comida Honesta, já tem 430 membros!

Os posts desta cozinha que foram mais visitados em 2012:

- Torta de frango e legumes estilo americana - aqui.

- Os docinhos caseiros da dona Elisa - aqui.

- Bolo de laranja sem glúten - aqui.

- Liberdade, macarrão e a panela de bambu - aqui.